• Pesquisar:

Menu superior



Vias Seguras / Eventos / Encontro Nacional de Segurança e Crimes de Trânsito (Abril 2012) / "Vida no Trânsito" em Campo Grande: resultados em Abril 2012





"Vida no Trânsito" em Campo Grande: resultados em Abril 2012

Apresentação no Encontro Nacional de Segurança e Crimes de Trânsito (18 a 20 de Abril 2012, em Campo Grande)

(Publicado no portal da Prefeitura de Campo Grande, 18 de Abril de 2012)

 

Entidades de todo o país discutem na Capital formas de reduzir mortes no trânsito

 

Segue até amanhã (19) a programação do Encontro Nacional de Segurança e Crimes de Trânsito, que teve início na última segunda-feira (16) em Campo Grande. O evento reúne órgãos e entidades ligadas ao trânsito. Nesta manhã, o diretor-presidente da Agência Municipal de Transporte e Trânsito (Agetran), Rudel Trindade Júnior e seus assessores técnicos apresentaram os resultados obtidos desde a implantação do projeto Vida no Trânsito, em 2010, durante o Seminário Nacional de Prevenção e Redução de Acidentes de Trânsito, que integra o evento.
O encontro, realizado no Centro de Convenções Rubens Gil de Camillo, tem o intuito de encontrar formas de diminuir os acidentes de trânsito, um dos maiores causadores de morte no País. “Se escolheram Campo Grande para realizar um evento desta magnitude, significa que a vontade política que temos para avançar neste sentido é reconhecida aí fora. Primeiro, estávamos entre as cinco capitais convidadas para acolher o projeto e, agora, nossas experiências se difundem e encontros como este nos permitem fazer um raio x do que já se conseguiu até agora, comparando com outras capitais e o que ainda é preciso aperfeiçoar”, considera Rudel.
Dados
Apenas no ano passado, 131 pessoas morreram vítimas de acidentes de trânsito na Capital. Deste , 82 mortes envolviam motocicletas. Para a chefe da Divisão de Educação para o Trânsito da Agetran, Ivanise Rotta, por meio do projeto, já é possível identificar resultados positivos obtidos desde então, graças às ações proativas e parcerias integradas por 28 entidades das áreas da saúde, educação, segurança e trânsito.
“O foco do projeto é reduzir o número de mortes e feridos graves vítimas de acidentes do trânsito. O projeto está aí pra isso e as ações estão dando certo. A parceria de todos os órgãos envolvidos permite que as informações sejam confiáveis e, a partir daí, sejam criadas estratégias que efetivamente vão funcionar. Antes, os dados com os quais nos baseávamos para identificar perfil das vítimas e outras informações, vinham exclusivamente da Ciptran, por meio dos boletins de ocorrência. Hoje, fazemos um cruzamento preciso destas informações com as de outros órgãos e, a partir daí, podemos traçar com exatidão a realidade do trânsito local”, explica Ivanise, que participou da mesa redonda nesta manhã.
Análise
Entre as pautas debatidas durante o evento, esteve o cumprimento da Lei Seca e os motociclistas, que atualmente estão presentes em 50% das ocorrências. Outro dado que foi possível chegar, por meio de parcerias e cruzamento das informações, é sobre a freqüência por dia e horário em que os acidentes com vítimas fatais e graves acontecem. Das 18h às 23h de sexta-feira, o número de acidentes é expressivo.
Ivanise explicou, no encontro, que o reflexo destes acidentes é identificado no sábado pela manhã e, depois, nos períodos da tarde e noite do sábado. “O fim de semana é, sem dúvida, o período em os acidentes são mais numerosos. Na manhã do sábado, a gente vê o reflexo dos acidentes da noite anterior e, logo depois, os acidentes voltam a ser freqüentes até a noite, com reflexo no domingo de manhã. Depois, os acidentes voltam a ocorrer com mais freqüência no domingo à noite”, explica a chefe de Educação para o Trânsito da Agetran. Os fatores principais são a velocidade e o álcool em segundo lugar.
Na sexta-feira (20), ainda como parte do encontro, está marcada para as 8h uma audiência pública na Assembleia Legislativa sobre crimes de trânsito. A iniciativa é da Polícia Rodoviária Federal, do Ministério da Justiça, da OAB/MS e do Governo do Estado, por meio do Detran.

 

Fonte/Autor: Eliza Moreira DRT/MS 106

palavras-chave: Vida no Trânsito, resultados, Campo Grande, MS